OBSERVANDO

Wellington Medeiros (*)

welingtonmedeiros@bol.com.br 


 

DÚVIDAS E RESPOSTAS

            Wellington Medeiros*

 

Nesse período de enxurradas - aí estão centenas de famílias ainda fazendo um balanço dos prejuízos causados pela chuva de quase 300 milímetros que inundou Natal do meio para o final da semana - como se não bastasse, o domingo foi marcado pelas comemorações do Dia dos Pais e esta segunda-feira uma sucessão de eventos que "Datas e Fatos" reserva para o dia 11 de agosto: é o Dia do Advogado, do Estudante, do Garçom e do Hoteleiro - faz sentido - mas é também o dia da Televisão e, pasmem o dia do Pendura. Quase todas essas datas vêm sendo comemoradas ao longo dos anos e sempre com um enfoque diferente.

O advogado, em meio à discussão que está aberta em torno da Lei 11.767, aprovada pela Câmara, Senado e sancionada pelo Presidente da República que garante a inviolabilidade de seu escritório ou local de trabalho, incluindo correspondências escrita, eletrônica, telefônica e telemática (mensagem via e-mail). O estudante, preocupado com a violência, agora não só na porta das escolas, mas nos eventos de maiores proporções, como na abertura do Campeonato de Escolas Estaduais e Municipais - CEEMs - no Palácio dos Esportes, cancelada por conta da presença de vândalos.

O garçom tentando alternativas para a "Lei Seca", que reduziu os fregueses que antes enchiam a cara e saíam dirigindo. O hoteleiro com a baixa ocupação, diante de uma série de fatores: queda do dólar, dengue, insegurança e até as chuvas intermináveis deste ano. O dia também da Televisão, deve-se à data de nascimento de Santa Clara - a sua Padroeira - em 11 de agosto de 1194, em Assis, Portugal. O Dia do Pendura, aí fica por conta da imaginação de cada leitor, uma vez que são incontáveis os fatos em torno de pessoas que se vêem na situação de adiar o pagamento de dívidas.

Hoje, resolvi não escrever sobre um tema específico este artigo de todas as segundas-feiras - e já são 221  graças à tolerância deste O Jornal de Hoje. Mais propriamente por falta de apetite, como disse certa vez Carlos Drummond de Andrade. Também porque achei a oportunidade de compartilhar um dos melhores textos para reflexão que já me enviaram. Talvez - de autoria de Aristóteles Onassis - cai bem para quem viu no Dia dos Pais uma oportunidade para refletir. Sobretudo, pelas verdades que a mensagem dele consegue traduzir. Leiamos:

Talvez eu venha a envelhecer rápido demais; Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena. Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida; Mas farei que elas percam a importância diante dos gestos de amor que encontrei. Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais; Mas jamais irei me considerar um derrotado. Talvez em algum instante eu sofra uma terrível queda; Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão. Talvez um dia o sol deixe de brilhar; Mas então irei me banhar na chuva.

Talvez um dia eu sofra uma injustiça; Mas jamais irei assumir o papel de vítima. Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos; Mas terei a humildade para aceitar as mãos que se estenderão em minha direção. Talvez numa dessas noites frias eu derrame muitas lágrimas; Mas não terei vergonha por este gesto. Talvez eu seja enganado inúmeras vezes; Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar, alguém merece a minha confiança. Talvez com o tempo eu perceba que cometi grandes erros; Mas não desistirei de continuar trilhando meu caminho.

Talvez no decorrer dos anos eu perca grandes amizades; Mas irei aprender que aqueles que verdadeiramente são meus verdadeiros amigos, nunca estarão perdidos. Talvez algumas pessoas queiram o meu mal; Mas irei continuar plantando a semente da fraternidade por onde passar.  Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música; Mas então, farei que a música siga o compasso dos meus passos. Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-íris; Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração. Talvez hoje eu me sinta fraco; Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.

Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias; Mas terei a consciência que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados em minha alma. Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música; Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo. Talvez eu não tenha motivos para grandes comemorações; Mas não deixarei de me alegrar com as pequenas conquistas. Talvez a vontade de abandonar tudo se torne a minha companheira; Mas ao invés de fugir, irei correr atrás do que almejo.

Talvez eu não seja exatamente quem gostaria de ser; Mas passarei a admirar quem eu sou. Por que no final saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor. E se ainda não me convenci disso, é porque como diz aquele ditado: "ainda não chegou o fim". Porque no final não haverá nenhum "talvez" e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e eu fiz o melhor que podia!

 

 

(*) Wellington Medeiros é Jornalista. 

. Artigo publicado inicialmente no Jornal de Hoje, edição de 11.08.2008

 

 

COLUNAS ANTERIORES

A IRONIA DO SACRILÉGIO ESCOLA NA MEMÓRIA O BLOCO DO TEMPO MÉDICOS VETERINARIOS MEDO DE CHUVA TOLERÂNCIA ZERO VÉSPERA DE SÃO JOÃO RESSONÂNCIA MAGNÉTICA FATOS E FESTAS DENGUE E COMUNICAÇÃO A BATALHA DO BEM VIAGEM PRÉ-ELEITORAL A DERROTA DE TODOS ISABELLA E AS MÃES PROIBIÇÃO EM DOSE DUPLA POSSE E HOMENAGEM HISTÓRIA PASSADA A LIMPO DENGUE NO ROL DAS MAZELAS APESAR DE TUDO REFLEXÕES EM CLIMA DE FÉ NÓS E A INSEGURANÇA QUESTÃO DE TEMPO CBN 12 ANOS ESCOLA EM RECUPERAÇÃO JUSTIÇA E CIDADANIA RESGATE DO CARNAVAL TRÂNSITO EM MÃO ÚNICA CAMPANHA 2008 CARROÇA E MEIO AMBIENTE A FESTA E O RETROVISOR É NATAL! ESPAÇO 24/31 RAIVA LICEU, O BOM DEBATE A FAMA E O ÁLCOOL JH, DEZ ANOS O LIVRO DE AGNELO A LENDA E A LÓGICA PROGRAMA DE FINADOS GALERA DAS ANTIGAS O LICEU DE TODOS IMPÉRIO DA LEI O PERIGO MORA AO LADO NOVO RUMO SEMANA DO TRÂNSITO OS ANIMAIS E A POLÍTICA SINAIS DE ALERTA UMA ESCOLA E SEUS PARADOXOS O JOVEM E O TRÂNSITO PRESTANDO CONTAS GRITO QUE INCOMODA RABO DE FOGUETE THEODORICO - 104 ANOS OS HERÓIS E AS SEMELHANÇAS SEARA ALHEIA SERVIÇO PÚBLICO LICEU DAS ARTES CERCO AO TRÁFICO CAFÉ SÃO LUIZ O DEVER DE TODOS ÁLCOOL É POLÍTICA MARKETING RELIGIOSO O BENEFÍCIO DA DÚVIDA  A SEMANA DAS MÃES O MESTRE E A MÁQUINA O GRANDE GIBSON DO TWI AO GESPÚBLICA - O DIREITO E O TEMPO DE TEMPOS E TEMPOS DIA DE SÃO JOSÉ CRIME AMBULANTE  AS INTERNAUTAS DOS MALES, OS PIORES TEMPERATURA MÁXIMA ELAS E A LEI DESORDEM NO PROGRESSO FAÇA-SE JUSTIÇA WANILDO NUNES A PRECE DO POVO ATÉ 2007 FM, NOVO DESAFIO AS IMAGENS DANÇA NO GELO A PADROEIRA A VITÓRIA DE BABÁ SEMPRE VERÃO A FESTA CONTINUA CONTAGEM REGRESSIVA MATA GRANDE FATOS E VOTOS BOAS E MÁS NOTÍCIAS ASTRAL DOS CANDIDATOS ORTEGA E O VOTO DO LICEU AO CEFET A RETA DE CHEGADA BARRIGA DO ALUGUEL FOLCLORE ELEITORAL CLARICE PALMA DO BOATO À INTERNET LOCUÇÕES ELEITORAIS MEMÓRIA VIVA RÁDIO RDJ SEGUNDO TEMPO CEMITÉRIO DO ALECRIM OS AVANÇOS DA JUSTIÇA A SEMANA ANTIDROGAS É UMA FESTA SÓ DA NOSSA NATUREZA HORA DE DECISÕES OS COMERCIAIS ONDE ESTÁ O ATENDIMENTO? ALUÍZIO ALVES

Leia também a coluna Notícias, de Wellington Medeiros, no Site da Rede Tropical

 

TOPO

MENU

INDIQUE SITES

CIDADES DO RN

FALE CONOSCO