Adeus 2010; Feliz 2011

WALTER MEDEIROS

walterm.nat@terra.com.br 



 

 

31.12.2010

Adeus 2010; Feliz 2011

 

 

--- Walter Medeiros* – waltermedeiros@supercabo.com.br

 

 

Os raios da manhã surgiram mansos e amistosos com a brisa que vinha da praia, pelas dunas da minha cidade, Natal. Acordado, confiro o Céu azul que prenuncia um 31 de dezembro ameno, em 2010. E ando para esperar a chegada de 2011. É hora de ir à rodoviária deixar o filho Breno, a nora Danielle e a neta Letícia (seis meses) que embarcariam para João Pessoal, pois é lá que mora o pai dela; o Natal, passaram conosco. As ruas ainda estavam pouco movimentadas e a rodoviária em obras, mas repleta de gente, cada pessoa com seu semblante único.

No adeus à neta e seus pais, a reflexão daquele local de onde parti tantas vezes para tantos lugares: São Paulo, Brasília, Salvador, Fortaleza, João Pessoa. Numa dessas viagens, tarde da noite de domingo, lembro que o ônibus passou por uma rua cheia de bares, onde se via grupos embriagados com trejeitos do ridículo do pseudo-prazer. Na calçada escura, a fila de mendigos dormindo o sono dolorido dos mais excluídos. No Céu, uma estrela anunciando o fim de dezembro do Menino Jesus, como que guiando ainda hoje os Três Reis Magos.

Naquela reflexão pensei: como aquele chão de rodoviária guarda tantas emoções vividas, histórias sentidas, tristes despedidas. Quantos sonhos na chegada, sonhos na partida, histórias de vida, quantas pessoas ali. Lembro que na primeira despedida guardava cada instante daquela viagem elegante, e um momento tão sofrido. Lembrei da tristeza que senti no embarque do meu irmão, quando morava tão longe; não há maior solidão. De repente, vemos cenas daquelas de Casablanca, paixões, entregas francas, cheias de vida... povo enchendo toda área, momentos que se passam, tantos destinos se traçam no chão da Rodoviária.

Ali lembrei de certo 31 de dezembro em que umas nuvens branco-rosa passaram no fim da tarde, enquanto os passarinhos voam alvoroçados, em meio ao colorido das flores dos jardins. Numa esquina, um carro caridoso, de mala aberta, saciava a fome dos miseráveis dos canteiros, que mostram a injustiça social oficializada. O Ano Novo já chegou em alguns lugares, talvez levando novas esperanças aos lares, apesar de ameaçarem tanto à paz. Quando o novo dia despontar, festivo, quem sabe se um sino não vem anunciar uma nova vida, com grande motivo, para que surja o mundo melhor, onde a paz e o amor estejam bem vivos.

Aquelas mãos acenando, o ônibus seguindo no rumo da BR, agora é hora de dar adeus também para 2010, esperando que as reflexões sobre ele se façam lentamente, se for preciso. Mas a hora é de apresentar os nossos votos de Feliz Ano Novo em cada canto e das mais variadas formas. Para os parentes, amigos, vizinhos, conhecidos e desconhecidos, o desejo de que 2011 seja um ano bom, que cada um consiga dias melhores, conquiste seus sonhos, realiza suas aspirações, viva um período de muita prosperidade, felicidade, alegria e paz.

*Jornalista

 

 

COLUNAS ANTERIORES

CRÔNICAS E OUTROS ARTIGOS

BELA PÁGINA MUSICAL 

CARTA AO MEU FILHO

HISTÓRIA DO RÁDIO

O QUE NATAL DEVE A MARILENE DANTAS

AMOR À CHILENA

O HOMEM DO IBGE

O BEM-TE-VI E OUTROS PASSARINHOS

UMA CORTINA SEM FIM

GRANDEZAS DO ARAGUAIA

HIGIENE MENTAL E LIXO

ANISTIA PARA LUIZ, ONDE ESTIVER

OS GATOS DO CALÇADÃO

POR QUE BEBEM

NATAL EM LISBOA 

TV, BOMBRIL E SAÚDE MENTAL

ALCOOLISMO, ALCOÓLICOS ANÔNIMOS E A JUSTIÇA

UM TIRO NO FOOT

ATENDIMENTO AOS APRESSADOS

SE SE CALA O CANTOR

QUALIDADE PELO TELEFONE

LEMBRANÇAS DA FARDA CAQUI

SENTIR BRASÍLIA

UMA HOMENAGEM A LOIS

EM BUSCA DE UM AMIGO

COMÍCIO DA SÉ, 25 ANOS

MÉDICOS PRECIPITADOS

UMA SAUDADE A MAIS

ISRAEL BOMBARDEIA A HUMANIDADE

CUIDADO COM AS FLORES

ESPECIAL: SEU SEBASTIÃO - 92 ANOS DE BELAS HISTÓRIAS

RESSONÂNCIA HUMANIZADA

ESTUPIDEZ NO SHOPPING DO CARRO

MÉDICOS DE HOJE

MAIORIDADE AOS 16

HUMANIZAÇÃO EM LABORATÓRIOS

IMIGRAÇÃO E COLONIALISMO

TROTE - SOBRE CALOURADA DA UFRN

 ALGO INVISÍVEL NO ATENDIMENTO

DUARTE E SEU JOAQUIM

AL-ANON, UM RECURSO A MAIS PARA PROFISSIONAIS

EXPLICAÇÕES SOBRE A AUTO-HEMOTERAPIA  

O CLIENTE PERDIDO

CACHAÇA NO HOSPITAL

MEDICINA E ARTE

DESCULPAS INÓCUAS

NINGUÉM MERECE!

EVITE O PRIMEIRO ATRITO

PSICOLOGIA NO HOSPITAL

ESTUPIDEZ CONTUMAZ

O VENDEDOR DEZ EM UM

HUMOR NO ATENDIMENTO

GEOGRAFIA DA VENDA

AMIGO TAMBÉM ERRA

QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE

MEDICINA DESUMANA

ATITUDES CORRETAS

 

A HIGIENIZAÇAO DO DOENTE

 

 
 

TOPO

MENU

INDIQUE SITES

CIDADES DO RN

FALE CONOSCO

 
 
 
História do Rádio